quarta-feira, setembro 20, 2006

a taxa (des)moderadora


Foto: sic.sapo.pt

Há um ano e meio, Pedro Santana Lopes lançava a proposta da criação de taxas moderadoras para determinados serviços de saúde, que atingiriam quem auferisse um rendimento acima de uma certa fasquia. Foi uma ideia criticada por toda a oposição, mas principalmente pelo líder Partido Socialista, que, na altura, salientou ser o serviço nacional de saúde universal e gratuito. Torná-lo pago seria incorrer numa inconstitucionalidade.

Chamaram-lhe mais uma "trapalhada" do governo Santana...

Quem diria que seria um Ministro da Saúde de um governo socialista, isto é Correia de Campos, a impor agora taxas moderadoras para serviços que são gratuitos, de que é exemplo um internamento.

Desta vez, Zita Seabra chama-lhe um "novo imposto" e adianta que um internamento ou uma operação cirúrgica são determinados pelo médico, não tendo os utentes margem de opção. Ou pagam... ou pagam.

Resta-nos saber por que razão, para o PS de 2004, eram as taxas moderadoras da saúde uma trapalhada e hoje são uma decisão acertada...

1 comentário:

Franco disse...

Tiago good work, very nice blog. Seems you enjoy working with/ in the internet. And
if something like that even pays off well, it would be even better, woulnd't it?

I chose you because you convinced meby all the effort you put into it. That
really convinced me.
For further information please look up my site www-franco.blogspot.com Please get more information
on....see the video!